A moto de Nina, da novela Avenida Brasil, pode ser sua

Confira detalhes técnicos e saiba onde comprar a scooter retrô LON-V 125, a mais desejada do horário nobre

A personagem central da novela global Avenida Brasil, Rita/Nina (vivida pela atriz Débora Falabella) está sempre correndo de um lado para o outro para executar seus planos de vingança contra Carminha, a vilã da trama, interpretada por Adriana Esteves.Para estar sempre na hora e no local exato em que as coisas acontecem, Nina utiliza uma scooter LON-V 125 cilindradas pelas ruas de São Paulo.

pense carros, scooter retro LON-V 125 cilindradas, moto usada pela personagem Nina/Rita na novela Avenida Brasil 09/07/2012




















De acordo com Muniky Sena, responsável pelo relacionamento com a imprensa da Central Globo de Comunicação, a scooter de Nina esteve entre os 10 objetos de cena mais solicitados pelos telespectadores no mês de maio de 2012. “Este modelo de scooter pode ser facilmente encontrada em todo o Brasil, em lojas especializadas do segmento”, explica.

No site da loja Scooterplace Import, por exemplo, a scooter LON-V 125 ganhou destaque absoluto, com direito a espaço para vídeo com trechos da novela que mostram as cenas de Nina pilotando. De acordo com Paulo Augusto, consultor de vendas da loja, a comercialização do modelo cresceu após o início da novela: “A scooter já vinha tendo uma boa saída antes da novela, mas assim que começou, nosso estoque esvaziou e agora estamos dobrando os pedidos junto ao fabricante“, relata.

pense carros, scooter retro LON-V 125 cilindradas, moto usada pela personagem Nina/Rita na novela Avenida Brasil 09/07/2012




















No total, a loja vendeu cerca de 100 motos desde que ficou ainda mais famosa. Em São Paulo, o valor do modelo de entrada da scooter retro LON-V 125 fica em torno de R$ 6.590. Já a versão retro de luxe, chega a custar R$ 7.590.

Qualificações da scooter LON-V 125 cilindradas

A scooter retro LON-V 125 cilindradas é fabricada na China pela marca LON-V e está no Brasil há cinco anos. Seu modelo de entrada é equipado com motor quatro tempos com refrigeração a ar de 1 cilindro, capaz de produzir 9,15 cavalos de potência (7.500 rpm), com torque de 0,90Kgf (6.000 rpm). A velocidade máxima alcançada é de 95 km/h, com consumo aproximado de 35km/l. O tanque de combustível comporta 5 litros de gasolina e é capaz de carregar até 155 quilos no transporte. A partida é elétrica, com ignição CDI e câmbio CVT com polia variável.

Confira abaixo outros dados específicos da scooter:

- Diâmetro e Curso: 52.4 x 57.8 mm
- Taxa de Compressão:  9,2: 1
- Comprimento total: 1.830 mm
- Largura total: 680 mm
- Altura: 1.150 mm
- Entre- eixos: 1.240 mm
- Distância do solo: 122 mm
- Altrura do Banco: 725 mm
- Suspensão dianteira: Telescópica
- Suspensão traseira: Hidráulica com mola helicoidal
- Operação dos Freios:  Dianteiro na mão direita / Traseiro na mão esquerda
- Bateria: 12V-7Ah
- Freio dianteiro: Disco
- Freio traseiro: Tambor
- Pneu dianteiro: 3,5 x 10’
- Pneu traseiro : 3,5 x 10’

Um pouco de história

As primeiras scooters (“patinetes”, na tradução para o português) chegaram ao Brasil na década de 70 mas sua comercialização deslanchou mesmo a partir das décadas de 80 e 90, com a chegada das famosas Vespa, Lambretta e Carina, que na época, não exigiam que seu condutor tivesse porte de CNH (Carteira Nacional de Habilitação). A novidade se tornou “febre” entre os jovens da época. Mas sua história iniciou mesmo em Lambrette/ Milão, na Itália no ano de 1946, com a produção de sua precursora, a motoneta, pelas mãos de Ferdinando Innocenti, empresário industrial.

Em parceria com o engenheiro Pierluigi Torre, Ferdinando idealizou e desenvolveu um veículo econômico e seguro, que fosse bem aceito no período de devastação o qual vivia a Itália logo após a 2ª Segunda Guerra Mundial. No Brasil, a produção em série do primeiro modelo começou em 1955 pela empresa Lambretta do Brasil S.A., atingindo seu auge entre 1958 e 1960 com 50 mil unidades fabricadas.

Com informações históricas de Scooter Clube do Brasil e Site da Lambretta.

Leia mais
>> Vespa apresenta scooters 30% mais econômicas
>> Exposição traz Vespa italiana dos anos 1950 a Porto Alegre
>> Smart produzirá scooter 100% elétrica

Fonte: ADRIANA BARBOZA  -  PENSE CARROS
Comente: