Diagonal x radial

Cada automóvel tem um pneu específico para seu modelo. Segundo Eliel Bartels, supervisor de engenharia da DPaschoal, o principal cuidado que o usuário deve ter na hora de comprar pneus novos é de manter as características de seu automóvel, para que ele não perca desempenho.

Existem dois tipos básicos de pneus:

- diagonal (também conhecido como convencional);
- radial

Há cerca de 20 anos, o diagonal entrou em desuso, sendo encontrado em carros mais antigos como Fusca e Brasília.

A diferença entre diagonal e radial está na forma construtiva do pneu. Enquanto o primeiro tem um formato mais ovalado, resultando em menos área de contato com o solo, o segundo tem um formato quadrado - e dispensa câmara de ar.

A vida útil do pneu radial é outra vantagem sobre o modelo diagonal. Ele roda entre 80 e 100 mil quilômetros. Isso é quatro vezes a distância máxima que pode ser percorrida pelo outro modelo.

 

Os principais modelos de pneus

Confira as principais formas de categorizar os modelos de pneu

 

Adventure

Os pneus do tipo adventure são desenhados especialmente para andar em solos instáveis (terra, terrenos lodosos, pedrugulho). Eles são adequados para os motoristas que gostam de aventuras off-road - e têm carros preparados para isso. Por causa dos gomos mais destacados, eles têm mais capacidade de tração ao andar na terra. Há várias opções de estilo e preço no mercado, confira a que mais se adapta ao seu estilo de uso e ao seu bolso

 

De passeio

Os pneus do tipo passeio devem atender às necessidades de conforto, nível baixo de ruído e durabilidade. São os indicados para quem dirige na cidade e, eventualmente, pega a autoestrada em direção à praia.
Para sedãs de médio porte recomenda-se aqueles que têm maior índice de carga e segurança em alta velocidade. Se ficar em dúvida qual o mais adequado, consulte um especialista - e preste a atenção ao pneu que veio de fábrica em seu carro.

 

Alta performance

Os pneus de alta performance são desenhados para terem maior capacidade de aderência à pista. Para garantir esse efeito, eles têm bandas com desenhos assimétricos, ou seja, o desenho da área de contato com o solo tem configuração diferente em cada lado a partir do seu centro.
De acordo com os especialistas, é isso que garante que eles sejam os pneus perfeitos para rodar tanto em pistas secas quanto molhadas sem derrapar

 

Entenda as marcações numéricas

Você sabe o que significam todos os numerozinhos gravados no pneu?

O pneu mais utilizado em carros populares tem nome 165 70 R13. Cada número indica uma característica de fabricação, e significa:

* 165: é a largura em mm de um ombro ao outro do pneu, ou seja, a distância que há da ponta em que ele perde contato com o solo à outra (número 1 da figura);
* 70: é a medida da parte lateral do pneu (por exemplo, 70% de 165mm = 122,5mm de costado - número 2 da figura)
* R: é a indicação de que o pneu é de construção radial
* 13: é o diâmetro em polegadas do espaço onde fica a roda (número 3 da figura)

Posso trocar minha roda?

A alteração não deve ultrapassar 3% de diferença entre a roda anterior em carros de passeio e 2% em camionetes e SUVs

 

Geometria e balanceamento

O veículo deve ser realinhado a cada troca de pneus

O uso do automóvel na estrada desalinha o carro, não permitindo desempenho máximo do pneu. Para corrigir esse problema, é necessário refazer a geometria e balanceamento do veículo, feito em cima de dados que a montadora fornece - e que variam conforme o modelo. Carro alinhado garante estabilidades, especialmente em curvas.

A recomendação é de que o carro passe por geometria a cada 10 mil quilômetros rodados. Por dados da GIPA, de 2006, a média rodada pelo brasileiro é de 13,275mil km/ano.

A falta de verificação degrada a suspensão.

Como fazer o rodízio dos pneus?

Para otimizar o uso dos pneus, o rodízio deve ser feito de maneira unidirecional. Ou seja, os que estiverem sendo usados na parte traseira apenas passam para frente, no mesmo lado do automóvel. Não é recomendada a troca cruzada, pois é possível que haja desgastes irregulares. O rodízio unidirecional evita que o carro seja puxado pelo pneu mais desgastado.

 

Calibragem de pneus

Por que usar a pressão correta?

A vida útil do pneu é determinada pelo pelo alinhamento do veículo e pela pressão de pneu recomendada pelo fabricante. Pneu cheio o vazio demais pode desgastar de forma desigual a borracha (confira na imagem ao lado).
A pressão ideal pode ser encontrada no manual do automóvel. É recomendada a verificação semanal ou quinzenal da pressão e calibragem.

Confira dicas especiais do Pense Carros

Calibre os pneus sempre pela manhã

Com o pneu aquecido pelo uso, as partículas de ar dentro dele estão agitadas. Isso faz com que a pressão do pneu pareça mais alta.

Economia e sustentabilidade

Pesquisa da Bridgestone aponta que um em sete motoristas dirige com a pressão dos pneus menor do que o recomendado. Pneus calibrados consomem menos combustível, reduzindo a emissão de gases na atmosfera

 

Pneus recondicionados

Tecnicamente, é possível fazer um recondicionamento dos pneus. Ainda assim, não é recomendado, pois a remodelagem pode misturar carcaças de várias marcas. Mesmo que os pneus tenham a mesma medida, podem ter pesos diferentes pelo uso de material distinto. A prática pode causar impacto no balanceamento do carro.

Fonte: Eliel Bartels, supervisor de engenharia da DPaschoal

© 2012 Pensecarros.com.br. Todos os direitos reservados.
O melhor e mais completo guia de classificados online de veículos da região sul.