(SXC/Pense Carros)

Por um preço que não chega ao dos "pelados" das concessionárias,
muitos estão no mercado com menos de 10 mil quilômetros
rodados e contam com opcionais que valorizam o produto.

O grande problema, para quem não entende de mecânica, é o
medo de deixar passar um defeito grave, que vá levar a um
investimento maior que o calculado.

Para ajudar, o Pense Carros procurou profissionais do mercado
que indicam o que deve ser olhado pelo consumidor na hora de
investir num usado. E, sempre é bom lembrar, levar o veículo a um
mecânico de sua confiança antes de fechar o negócio também
é importante.

 

Com o motor funcionando, observe

- Ligue o carro e acelere. Preste atenção no barulho do motor.
Ouvir ferro com ferro batendo, por exemplo, ou qualquer
barulho estranho, é sinal de problema. Pode ser válvula,
biela ou pino de pistão;

- carros movidos a álcool ou gasolina não podem ter o barulho
de um carro a diesel (pense no barulho que faz um ônibus
quando anda);

- confira se o barulho feito pelo carro em marcha lenta
é oscilante.

Confira a cor da fumaça que sai do escapamento

- fumaça preta pode significar que o veículo está desregulado
na hora de misturar ar e combustível. Pode significar a
necessidade de trocar as velas;

- fumaça branca é condensação de ar, não indica nenhuma
anormalidade e é comum especialmente em carros a álcool
ou em dias muito frios;

- fumaça azulada geralmente significa queima de óleo no motor
e pode exigir sua reforma completa. É um sinal de alerta grave.

Dirija e sinta a caixa de câmbio

Dificuldade para engate ou um ronco nas marchas pode
significar problema de rolamento na caixa, do diferencial.

Confira se esses itens foram trocados em revisões
programadas de fábrica.

Importante sobre o freio

- Com o carro parado e desligado pise no pedal do freio. Mantenha
o pé ali e ligue o motor. Quando o carro começar a funcionar,
você deve sentir o pedal ceder e descer um pouco, depois
parar. Isso significa que o freio deve estar ok;

- se o pedal seguir descendo pode haver problema no cilindro mestre, escapando fluido ou ar;

- se o pedal não ceder ao ligar o motor, também é um indicativo de problema.

Atenção para os pneus

Pneus gastos de forma diferente e "comidos" por dentro estão fora da geometria, o que pode significar até um problema de suspensão.

Óleo

- verifique se o nível de óleo lubrificante está entre os níveis indicados na mangueira de medidas;

- confira também se a cor do óleo não está muito escura;

- cheque a data e a quilometragem da última troca de óleo;

- peça a um mecânico de confiança verificar se não há borra de
óleo no motor pois isso pode causar entupimento das vias de lubrificação.

Lataria e vidros

- a presença de emendas de solda significa que o
veículo já sofreu batidas;

- dê batidinhas na lataria e procure diferença de som: isso
pode significar uma emenda de massa plástica em algum local;

- diferenças de cor na pintura (uma porta mais escura, por exemplo) podem indicar a mesma coisa;
- confira se os vidros têm impresso o número do chassi, pois
pode indicar a necessidade de uma troca resultante de furto ou acidente;

- procure por pontos de ferrugem;

- lembre-se: a lataria tem de cinco a seis anos de garantia de fábrica;

 

Aspecto do interior

- um carro com cinco anos vai ter no mínimo 90 mil quilômetros rodados. Carros que "ficam muito parados" podem indicar alteração no hodômetro;

- volante muito gasto pode comprovar a alteração do hodômetro;

- da mesma forma, o estado de conservação dos estofamentos, com os acabamentos dos bancos visualmente gastos.

Aspecto do exterior

- verifique se há marcas de chave no cofre do motor ou se o lacre de fábrica foi rasgado. Isso pode significar que o carro foi batido;


- lembre-se: pneus gastos significam um uso de entre 30 mil a 40 mil quilômetros rodados: olhe o hodômetro!

Fontes: Luiz Alberto Ithourald, supervisor de seminovos da Panambra, e Francisco Ferraz, gerente de vendas da Sinoscar

 

O Procon recomenda

- A compra em estabelecimentos comerciais está amparada pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC)

- Se o veículo apresentar problemas de fácil constatação, o prazo para reclamar é de 90 dias. Se não forem resolvidos em 30 dias, pode-se exigir a troca do veículo por outro do mesmo modelo; cancelamento da compra ou abatimento proporcional do preço.

- São obrigatórios no veículo e devem estar em perfeito estado: extintor de incêndio; macaco; triângulo de sinalização; chave de roda; cinto de segurança e estepe.

- Consulte o Detran para saber se há débitos de multas ou de IPVA pendentes, pois na transferência essas dívidas devem ser pagas pelo novo proprietário.

- Se tiverem sido realizadas modificações no motor, lataria ou equipamentos do carro, precisam estar devidamente homologadas pelo Detran e constar do documento do veículo.

Fonte: Procon-PR

 
© 2012 Pensecarros.com.br. Todos os direitos reservados.
O melhor e mais completo guia de classificados online de veículos da região sul.